Questão 7

Murilo Mendes, em um de seus poemas, dialoga com a carta de Pero Vaz de Caminha: 

“A terra é mui graciosa, 

Tão fértil eu nunca vi. 

A gente vai passear, 

No chão espeta um caniço, 

No dia seguinte nasce 

Bengala de castão de oiro. 

Tem goiabas, melancias, 

Banana que nem chuchu. 

Quanto aos bichos, tem-nos muito, 

De plumagens mui vistosas. 

Tem macaco até demais 

Diamantes tem à vontade 

Esmeralda é para os trouxas. 

Reforçai, Senhor, a arca, 

Cruzados não faltarão, 

Vossa perna encanareis, 

Salvo o devido respeito. 

Ficarei muito saudoso 

Se for embora daqui”. 

MENDES, Murilo. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. 

Arcaísmos e termos coloquiais misturam-se nesse poema, criando um efeito de contraste, como ocorre em: 

a)
b)
c)
d)
e)
Carregando equações...
Já é cadastrado? Faça o Login!