Questão 8

(UNESP) A Modernidade não pertence a cultura nenhuma, mas surge sempre contra uma cultura particular como uma fenda, uma fissura no tecido desta. Assim, na Europa, a Modernidade não surge como um desenvolvimento da cultura cristã, mas como uma crítica a esta, feita por indivíduos como Copérnico, Montaigne, Bruno e Descartes que, na medida em que a criticavam, já dela se separavam, já dela se desenraizavam. A crítica faz parte da razão que, não pertencendo a cultura particular nenhuma, está em princípio disponível a todos os seres humanos e culturas. Entendida desse modo, a Modernidade não consiste numa etapa da história da Europa ou do mundo, mas numa postura crítica ante a cultura, postura que é capaz de surgir em diferentes momentos e regiões do mundo, como na Atenas de Péricles, na Índia do imperador Ashoka ou no Brasil de hoje. 

(Adaptado de: CÍCERO, Antonio. Resenha sobre o livro O roubo da história. Folha de São Paulo , 1º nov. 2008.) 

Com a leitura do texto, a Modernidade pode ser entendida como: 

a)
b)
c)
d)
e)
Carregando equações...
Já é cadastrado? Faça o Login!