Questão 3

No caminho com Maiakóvski 
 
Eduardo Alves da Costa 
 
“[...] 
Na primeira noite eles se aproximam 
e roubam uma flor 
do nosso jardim. 
E não dizemos nada. 
Na segunda noite, já não se escondem; 
pisam as flores, 
matam nosso cão, 
e não dizemos nada. 
Até que um dia, 
o mais frágil deles 
entra sozinho em nossa casa, 
rouba-nos a luz, e, 
conhecendo nosso medo, 
arranca-nos a voz da garganta. 
E já não podemos dizer nada. 
[...]” 
 
Assinale a alternativa CORRETA, de acordo com as frases a seguir: 
 
I. O conteúdo do poema é subjetivo em relação à violência que existe no mundo. 
II. O eu lírico representa a coletividade impotente aos abusos e às ousadias daqueles que são coagidos. 
III. A repetição da expressão “e não dizemos nada” reforça a ideia de inércia das pessoas em relação aos atos de violência nas cidades. 
a)
b)
c)
d)
Carregando equações...
Já é cadastrado? Faça o Login!