Texto: Tipos de Óvulos/Ovos

Tipos de Óvulos/Ovos

A embriologia é a ciência que estuda o desenvolvimento do embrião desde a fecundação e formação da célula-ovo ou zigoto até a sua estruturação geral, que se completa no nascimento de um ser. Para organização dos estudos, o desenvolvimento embriológico é dividido em etapas. Veja:
 
 
 
Fecundação – segmentação – blastulação – gastrulação – neurulação – organogênese.
 
 
 
Sendo assim, a compreensão dessas etapas é muito importante para o estudo do desenvolvimento embrionário. Por isso, elas serão trabalhadas mais detalhadamente em tópico específico. 
 
 
 

O Vitelo e a Segmentação

Os diferentes tipos de óvulos encontrados nos animais apresentam aspectos próprios no desenvolvimento embrionário. A principal diferença entre eles está na quantidade e na localização do vitelo.
 
 
 
Vitelo é uma reserva nutricional que irá suprir as necessidades do embrião durante o seu desenvolvimento. Essa reserva já existe no óvulo de cada espécie e se mantém no ovo ou zigoto após a fecundação. Sua quantidade varia conforme o tipo de desenvolvimento embrionário. 
 
 
 
O embrião pode ter um desenvolvimento interno ou externo. Se o embrião se desenvolver dentro do corpo da fêmea – desenvolvimento interno –, ele poderá receber nutrição da própria mãe, assim como acontece na espécie humana via placenta. Nesse caso, o óvulo tem pouco vitelo, pois as necessidades nutricionais do embrião são supridas pela própria mãe durante o tempo de gestação. 
 
 
 
Há também os embriões que apresentam desenvolvimento externo, ou seja, ovos que se desenvolvem fora do organismo materno. Como exemplo, podemos citar o ovo da galinha, que será chocado, e o da tartaruga marinha, enterrado na areia de praias. Em ambos os casos, o desenvolvimento do embrião ocorre independentemente da presença da mãe, sendo que o ovo contém uma grande quantidade de vitelo, suficiente para todo o desenvolvimento embrionário até a eclosão dos ovos.
 
 
 
A distribuição e a quantidade de vitelo presente no óvulo e posteriormente no ovo têm grande influência no processo de segmentação, etapa de desenvolvimento do embrião. Nessa fase, a célula-ovo ou zigoto sofre mitoses sucessivas, formando duas células-filhas, depois quatro, oito, 16, até a formação da mórula, composta por 32 células.
 
 
 
Segundo a Lei de Balfour, a quantidade de vitelo no ovo é inversamente proporcional à segmentação. Assim, na região do ovo onde concentra o vitelo (polo vegetativo), será mais difícil a divisão celular. Em contrapartida, as células sofrerão intenso processo de mitose na região com pouco ou nenhum vitelo (polo animal).
 
 
 

Tipos de Óvulos 

 

Oligolécitos (Isolécitos ou Alécitos)

São óvulos com pouco ou nenhum vitelo. Caso o óvulo possua um pouco de vitelo, este será distribuído de forma homogênea por todo o citoplasma. São encontrados em alguns invertebrados, como nos poríferos e celenterados, protocordados (anfioxo) e mamíferos.
 
 
Oligolécito
 
 

Heterolécitos ou Mediolécitos  (Telolécito Incompleto)

São óvulos que possuem vitelo mais concentrado em um dos polos da célula (polo vegetativo). No outro polo (polo animal) localiza-se o núcleo celular. Os ovos heterolécitos são encontrados em alguns peixes e anfíbios.
 
 
 
Mediolécito ou telolécito
 
 
 

Megalécitos (Telolécito Completo)

São óvulos grandes devido ao acúmulo de vitelo no polo vegetativo. No polo animal existe uma nítida separação entre o citoplasma e a região com vitelo. Ovos megalécitos são típicos de animais, como aves, répteis e alguns peixes.
 
 
 
Megalécito ou telolécito completo
 
 

Centrolécitos 

Nesses óvulos, o vitelo se acumula na região central das células, ao redor do núcleo. São encontrados em artrópodes (insetos e crustáceos).
 
 
 
Centrolécitos. Exemplo: artrópodes
 
 

Tipos de Segmentação

Após a formação do zigoto, inicia-se o processo de segmentação, relacionado a sucessivas clivagens ou divisões celulares mitóticas. Pouco a pouco, o embrião vai ganhando novas células, os blastômeros.
 
 
 
Como já foi dito, a segmentação é inversamente proporcional à quantidade de vitelo. Assim, os locais de pouca concentração de vitelo no ovo apresentam mais divisões celulares.
 
 
 

Segmentação Total ou Holoblástica

Aqui, as divisões celulares atingem todo o ovo, o qual apresenta uma quantidade pequena de vitelo.
 
 
 
No caso de ovos isolécitos, que possuem pouca quantidade de vitelo distribuído de forma homogênea, a segmentação é total (holoblástica) e igual. Já no caso de ovos heterolécitos, a segmentação é total (holoblástica) e desigual, pois há uma concentração de vitelo em maior quantidade num dos polos da célula.
 
 
 

Segmentação Parcial ou Meroblástica

Esse tipo de segmentação atinge apenas uma parte do ovo, especificamente a que não existe vitelo. Ocorre nos ovos centrolécitos e megalécitos.
Nos óvulos megalécitos, a segmentação ocorre apenas na porção do núcleo celular, uma região discoide sem nenhum vitelo (polo animal). Já na região com grande concentração de vitelo, não há segmentação; assim, pode-se dizer que a segmentação nesses ovos é parcial discoidal.
 
 
 
Enquanto isso, nos óvulos centrolécitos, o núcleo central sofre sucessivas divisões. As células formadas migram para a superfície (periferia) do ovo. Nesse caso, pode-se dizer que a segmentação do ovo centrolécito é parcial superficial.
 
 
 
Tipos de óvulos e segmentação
 
 


Em Resumo

Os óvulos carregam consigo quantidades variadas de vitelo (nutrientes para o embrião). Os animais com desenvolvimento externo, isto é, que ocorre fora do corpo da fêmea, precisam de maior quantidade de vitelo para a fase embrionária. É importante lembrar que a quantidade dessa reserva nutricional é inversamente proporcional à segmentação.
Vamos Praticar?
Já é cadastrado? Faça o Login!