Texto: Trovadorismo

Trovadorismo

Aqui, abordaremos o Trovadorismo, acontecido em Portugal durante a Idade Média, entre os anos de 1198 e 1418. 

 

Antecedentes

Os primeiros momentos do Trovadorismo são marcados pela guerra de reconquista de Portugal, que se encontrava sob o domínio mouro, e finalizados com Afonso III se apoderando de Albufeira, Faro, Louré, Aljezur e Porches. É nesse clima de pós-guerra que a poesia medieval portuguesa alcança seu ponto mais alto na segunda metade do século XIII. Assim, existem quatro teses que explicariam a formação da literatura medieval portuguesa, a saber: 

 

[...] a tese arábica, que considera a cultura arábica como sua velha raiz; a tese folclórica, que a julga criada pelo povo; a tese médio-latinista, segundo a qual essa poesia ter-se-ia originado da literatura latina produzida durante a Idade Média; a tese litúrgica considerava-a fruto da poesia litúrgico-cristã elaborada na mesma época. Nenhuma delas é suficiente, de persi, para resolver o problema, tal a sua unilateralidade. Temos de apelar para todas ecleticamente, a fim de abarcar a multidão de aspectos contrastantes apresentada pela primeira floração da poesia medieval. (MOISÉS, 2001, p.19). 

 

No entanto, parece ser a união da corrente popular com a provençal, da região meridional da França (tese médio-latinista), que explicaria o caráter assumido pelos trovadores em Portugal. As Cruzadas, levando os fiéis a procurar Lisboa como um porto mais próximo para embarcar para Jerusalém, propiciaram o movimento de muitos homens e de uma nova forma de cantar a história desses homens. 

 

O marco inicial do Trovadorismo é a “Cantiga da Ribeirinha” (conhecida, também, como “Cantiga da Garvaia”), escrita por Paio Soares de Taveirós no ano de 1189. Essa fase da Literatura portuguesa vai até o ano de 1418, quando Fernão Lopes é nomeado o Guarda-mor da Torre do Tombo, em outras palavras, o conservador do arquivo histórico do reino. 

 

Na lírica medieval, os trovadores eram os artistas de origem nobre, que compunham e cantavam, com o acompanhamento de instrumentos musicais, as cantigas (poesias cantadas). Essas cantigas eram manuscritas e reunidas em livros, conhecidos como Cancioneiros. Temos conhecimento de apenas três Cancioneiros. São eles: “Cancioneiro da Biblioteca”, “Cancioneiro da Ajuda” e “Cancioneiro da Vaticana”.

 

Os trovadores de maior destaque na lírica galego-portuguesa são: Dom Duarte, Dom Dinis, Paio Soares de Taveirós, João Garcia de Guilhade, Aires Nunes e Meendinho.

 

No Trovadorismo galego-português, as cantigas são divididas em: Satíricas (Cantigas de Maldizer e Cantigas de Escárnio) e Líricas (Cantigas de Amor e Cantigas de Amigo). Trataremos delas no próximo tópico. 

 

Leitura

cantiga da Ribeirinha é um dos textos mais antigos da Literatura portuguesa. Seria ela que tipo de cantiga? Leia e tente identificar. Discuta com seus colegas. Atente-se para as interessantes evoluções da linguagem no tempo: isso corresponde a um traço muito importante, tanto para o estudo da Literatura quanto para o estudo da Língua Portuguesa. Observe:

 

No mundo nom me sei parelha, 

mentre me for’ como me vai, 

ca ja moiro por vos - e ai 

mia senhor branca e vermelha, 

queredes que vos retraia 

quando vos eu vi em saia! 

Mao dia que me levantei, que vos enton nom vi fea! “ 

 

No mundo ninguém se assemelha a mim / enquanto a minha vida continuar como vai / porque morro por ti e ai / minha senhora de pele alva e faces rosadas, / quereis que eu vos descreva (retrate) / quanto eu vos vi sem manto (saia : roupa íntima) / Maldito dia! me levantei / que não vos vi feia (ou seja, viu a mais bela). 

 

“E, mia senhor, des aquel di’ , ai! 

me foi a mim muin mal, 

e vós, filha de don Paai 

Moniz, e ben vos semelha 

d’aver eu por vós guarvaia, 

pois eu, mia senhor, d’alfaia 

nunca de vós ouve nem ei 

valia d’ua correa”. 

 

E, minha senhora, desde aquele dia, ai / tudo me foi muito mal / e vós, filha de don Pai / Moniz, e bem vos parece / de ter eu por vós guarvaia (guarvaia: roupas luxuosas) / pois eu, minha senhora, como mimo (ou prova de amor) de vós nunca recebi / algo, mesmo que sem valor.    

 

Em Resumo

O Trovadorismo surgiu quando Portugal começou a se despontar como nação independente, entre os anos de 1198 e 1418, expulsando os mouros do território português. Esse também foi o momento em que aconteciam as Cruzadas, muitas vezes, saídas de Lisboa para Jerusalém. A cantiga da Ribeirinha, de Paio Soares de Taveirós, é considerada a primeira cantiga portuguesa. A palavra trovador vem do verbo francês trouver, que significa achar, encontrar. Portanto, o trovador achava ou encontrava a música adequada ao poema e cantava acompanhado de instrumentos musicais, tais como a lira. 

 

Referências

HAUSER, Arnold. História social da arte e da cultura. Volume IV. Lisboa: Estante editora, 1964.

MOISÉS, Massaud. A literatura portuguesa. 31. ed. São Paulo: Cultrix, 2001.

PERRY, Marvin. Civilização Ocidental: uma história concisa. 3.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002. 

Vamos Praticar?
Já é cadastrado? Faça o Login!