Texto: O Texto e o Verbo III/ Variação Linguística II

O Texto e o Verbo III/ Variação Linguística II

Neste tópico, encerraremos o estudo a respeito dos verbos. Fique, entretanto, atento aos textos e às estruturas verbais que encontrar pela frente e tenha sempre em mente o que estudou até aqui. Iremos encerrar também o estudo sobre a variação linguística, assunto sempre presente em diversos processos de seleção. Assimile o que aprendeu acerca desse tema e verifique como o usamos a todo momento, em diferentes situações e contextos de comunicação. 

 

Variação Linguística

No tópico anterior, você aprendeu sobre as variações regionais e de época. Neste tópico, vamos estudar as seguintes variações: escrita e falada, norma culta e popular, formal e informal.

 

Uma das variantes linguísticas mais importantes, a modalidade escrita da língua difere da modalidade falada. Faça o teste: observe seus professores falando em sala de aula ou, então, grave a si mesmo e transponha essa fala para o papel. Você vai perceber de forma clara que há diferenças entre a articulação da fala e a do papel. Da mesma maneira, não usamos todos os recursos da fala na escrita, pois isso pode parecer infantil. Observe a questão proposta no ENEM em 2012:

 

eu gostava muito de passeá… saí com as minhas colegas… brincá na porta di casa di vôlei… andá de patins…bicicleta… quando eu levava um tombo ou outro… eu era a::… a palhaça da turma… ((risos))… eu acho que foi uma das fases mais… assim… gostosas da minha vida foi… essa fase de quinze… dos meus treze aos dezessete anos… 

 

(A. P. S., sexo feminino, 38 anos, nível de ensino fundamental. Projeto Fala Goiana, UFG, 2010).

 

Um aspecto da composição estrutural que caracteriza o relato pessoal de A. P. S. como modalidade falada da língua é:

 

a) predomínio de linguagem informal entrecortada por pausas.

b) vocabulário regional desconhecido em outras variedades do português.

c) realização do plural conforme as regras da tradição gramatical.

d) ausência de elementos promotores de coesão entre os eventos narrados.

e) presença de frases incompreensíveis a um leitor iniciante.

 

Ainda no campo das variações linguísticas, atente-se às diferenças entre norma culta e norma popular. A primeira é transmitida pela escola, em que se seguem as regras para o uso da Língua Portuguesa, principalmente para o momento da escrita; enquanto isso, a segunda é utilizada geralmente por pessoas com baixo índice de escolaridade, as quais usam a mesma linguagem popular em todas as situações de fala e escrita, sem saber distinguir o uso linguístico nas mais variadas situações. 

 

Tome cuidado agora para não confundir a norma culta e a popular com a última das variações, a qual engloba a formal e a informal. A variação formal e informal se relaciona muito com o estilo e a situação de uso da língua. Um médico, por exemplo, utiliza o modo formal com seus pacientes e pode utilizar o informal entre amigos e familiares; entretanto, será sempre falante da modalidade culta da língua. Observe, por exemplo, essa questão do ENEM de 2009:

 

Gerente – Boa tarde. Em que eu posso ajudá-lo? 

Cliente – Estou interessado em financiamento para compra de veículo. 

Gerente – Nós dispomos de várias modalidades de crédito. O senhor é nosso cliente? 

Cliente – Sou Júlio César Fontoura, também sou funcionário do banco. 

Gerente – Julinho, é você, cara? Aqui é a Helena! Cê tá em Brasília? Pensei que você inda tivesse na agência de Uberlândia! Passa aqui pra gente conversar com calma. 

 

(Adaptado de: BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna. São Paulo: Parábola, 2004.) 

 

Na representação escrita da conversa telefônica entre a gerente do banco e o cliente, observa-se que a maneira de falar da gerente foi alterada de repente devido: 

 

a) à adequação de sua fala à conversa com um amigo, caracterizada pela informalidade. 

b) à iniciativa do cliente em se apresentar como funcionário do banco. 

c) ao fato de ambos terem nascido em Uberlândia (MG). 

d) à intimidade forçada pelo cliente ao fornecer seu nome completo. 

e) ao seu interesse profissional em financiar o veículo de Júlio.

 

Verbo

Nos dois tópicos anteriores, vimos a formação de alguns tempos verbais. Sobre outros tempos verbais, fique atento ao futuro do presente do indicativo e ao futuro do pretérito do indicativo. Para a formação desses dois tempos verbais, utilize o tema (radical + vogal temática) e acrescente -ria (futuro do pretérito) ou -re / -rá (futuro do presente), mais as desinências número-pessoais.

 

 

Agora, caro aluno, além de ter a noção sobre a conjugação verbal, note o uso geral do verbo no texto. Chamamos de correlação verbal o uso correto de um tempo verbal associado a outro tempo verbal. Veja abaixo uma tabela que associa os tempos verbais e comece a prestar atenção a algumas maneiras, nas mais diversas situações de comunicação, em como usamos um verbo associado a outro.

 

 

Em Resumo

Neste tópico, você aprendeu outras vertentes do verbo. Da mesma forma que nos tópicos anteriores, há bastante estudo para ser feito por você! Em relação aos verbos, fique atento à chamada correlação verbal, que se liga intimamente à estrutura dos textos. Ainda neste tópico, concluímos o estudo a respeito das variações linguísticas. Observe as estruturas textuais e como a língua se articula de diferentes formas, dependendo da situação de uso.

Já é cadastrado? Faça o Login!