Texto: Gravidez e Parto

Gravidez e Parto

No tópico anterior, você aprendeu sobre os órgãos e glândulas que compõem os sistemas genitais masculino e feminino e suas funções. Agora, você conhecerá um pouco sobre o que ocorre durante a gestação humana, isto é, quais mudanças acontecem no corpo da mulher, como ocorre o desenvolvimento do bebê no interior do útero e como acontece o parto. Você conhecerá como veio ao mundo!
 
Esquema apresentando vários espermatozoides e um ovócito momento antes da fecundação
 


Primeira Etapa da Gravidez: Fecundação

No tópico anterior, você viu que a fecundação é o processo de união entre os gametas masculino e feminino. A fecundação nos seres humanos, assim como em outros animais, ocorre internamente, nas tubas uterinas. 

Durante o ato sexual, os espermatozoides são liberados na vagina e utilizam seu flagelo para se moverem até a tuba uterina, na qual está o ovócito (caso a mulher esteja em seu período fértil). Milhares de espermatozoides são liberados em cada ato sexual, mas apenas uma parte deles consegue chegar onde o ovócito está. 

Vários espermatozoides tentam ultrapassar uma camada externa do ovócito, mas apenas um consegue fundir seu núcleo com o do ovócito (cariogamia). Ao ultrapassar essa camada, o espermatozoide induz o ovócito a terminar seu desenvolvimento, como explicado anteriormente. 

Após o processo de fecundação, a célula formada passa a ser chamada de zigoto e inicia suas divisões. Assim, o organismo em desenvolvimento é chamado de embrião até a oitava semana da gestão. Durante essa fase, inicia-se a formação de algumas estruturas, como o sistema nervoso, o coração e os membros locomotores.
 

Saiba Mais!

Nos primeiros meses de gestação, o embrião é muito pequeno e por isso não é possível perceber o aumento do tamanho da barriga. Assim, como a mulher sabe que está grávida? O primeiro sinal, geralmente, é a interrupção do ciclo menstrual. Porém, para mulheres que não possuem regularidade em seus ciclos, a interrupção dele pode não ser consequência de uma gravidez. 
Para ter certeza da gravidez, a mulher deve fazer um exame de sangue específico que tem como objetivo verificar a existência de um hormônio no sangue que é produzido apenas após a nidação (gonadotrofina coriônica).
Após a confirmação da gravidez, a mulher deve ser acompanhada por um médico especializado e seguir suas recomendações para ter uma gestação tranquila e para que o feto desenvolva-se com saúde.
Fotografia de uma mulher fazendo um exame de sangue


Segunda Etapa da Gravidez: Nidação 

Ao percorrer a tuba uterina, o embrião sofre várias divisões celulares e, ao alcançar o útero, instala-se no endométrio, processo chamado de nidação. Esse processo induz a formação da placenta, que é uma estrutura responsável pela troca de substâncias entre a mãe e o filho. O cordão umbilical é a estrutura que se conecta à placenta para receber os nutrientes e o oxigênio do corpo da mãe e eliminar as excretas do corpo do filho.


Terceira Fase da Gravidez: Desenvolvimento do Feto

Ao final de oito semanas, o embrião passa a ser chamado de feto. O desenvolvimento do feto ocorre ao longo de sete meses, sendo que todos os órgãos do corpo já estão formados ao final do quinto mês. A tabela a seguir resume os estágios de desenvolvimento em cada mês de gestação.
 
Esquema representando os processos de fecundação e nidação
 
Quadro adaptado de: SILVA JÚNIOR, César da; SASSON, Sézar; SANCHES, Paulo Sérgio Bedaque. Ciências: entendendo a natureza: o ser humano no ambiente – 8º ano (Ensino Fundamental). São Paulo: Saraiva S. A. – Livreiros Editores, 2009
 


Anexos Embrionários

O desenvolvimento do embrião depende de estruturas especiais que se formam durante a gestação e que são chamadas de anexos embrionários. O primeiro anexo que você conheceu foi a placenta que permite a nutrição do embrião e a troca de gases respiratórios entre a mãe e o filho. Além desse, outro anexo importante é o âmnio, uma bolsa que contém um líquido que protege o feto de traumas mecânicos e da desidratação.


O Parto

Ao final de seu desenvolvimento, no interior do útero, o feto geralmente se acomoda no quadril da mãe em uma posição adequada para o parto. Nessa fase, aumentam-se as contrações uterinas, há a dilatação do colo uterino (porção mais próxima à vagina), o rompimento do âmnio e a dilatação da vagina de forma que seja possível a retirada do feto.
 

Quando o feto sai do corpo da mãe por meio da vagina, é chamado de parto normal. Mas em algumas situações, ou por opção das mães, o feto é retirado cirurgicamente, por meio de um corte na região inferior do abdômen. Esse procedimento é chamado de cesariana. 
 
Esquema representando dois anexos embrionários (placenta e âmnio) e o cordão umbilical
 

Assim que sai do corpo da mãe, o bebê começa a respirar sozinho e o cordão umbilical é cortado. 
 
Esquema representando as etapas do parto normal. I- liberação do âmnio, II- dilatação da vagina, III- saída do bebê, IV- corte do cordão umbilical e V- eliminação da placenta
 

Você Sabia?

Embora a gestação humana tenha duração de nove meses, em alguns casos, o bebê pode nascer antes de completar seu desenvolvimento. Nesse caso, o parto é prematuro. A chance de sobrevivência do bebê depende de seu grau de desenvolvimento. Alguns dos últimos órgãos a se desenvolverem são os pulmões e, por isso, apenas após essa etapa (que ocorre por volta do 7º mês de gestação) é possível que o bebê sobreviva fora do corpo da mãe. Nesse caso, o bebê necessita de cuidados especiais e é mantido no hospital por um tempo após o nascimento.
Fotografia de um bebê prematuro sendo preparado para ser levado para a incubadora (no fundo). Em virtude de seu estágio de desenvolvimento, essa criança precisa de cuidados especiais
 

Amamentação

Durante o período de gestação, as mamas da mulher tornam-se mais volumosas em razão do desenvolvimento das glândulas mamárias. Essas glândulas são responsáveis pela produção do leite. O leite possui todos os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento do bebê, além de conter os primeiros anticorpos que nosso corpo recebe. Eles protegem o corpo do bebê até que ele seja capaz de produzir seus próprios anticorpos.
 
Fotografia de uma mãe amamentando seu filho
 
Os hormônios estrogênio e progesterona estimulam o desenvolvimento das glândulas mamárias, enquanto o hormônio prolactina induz a produção de leite. A prolactina será produzida pelo corpo da mãe enquanto ela amamentar seu filho, mas em algumas situações sua produção pode ser interrompida.

Nos primeiros meses de vida, o leite materno deve ser o único alimento oferecido à criança, mas com seu desenvolvimento, o leite deve ser gradativamente substituído por outros alimentos. Esse procedimento garante que a criança desenvolva-se corretamente.
 

Leitura

Se apenas um ovócito é liberado por ciclo menstrual, como é possível o nascimento de mais de um bebê? Em alguns casos, a mulher pode liberar mais de um ovócito em um mesmo ciclo e caso ocorra a relação sexual e eles sejam fecundados, cada um dará origem a uma pessoa. Nesse caso, cada embrião desenvolve-se independentemente do outro e as crianças geradas são diferentes entre si. Esses são os gêmeos fraternos, bivitelinos ou dizigóticos.
Já em outros casos, é liberado apenas um ovócito que é fecundando por um espermatozoide, mas durante as divisões celulares, há a formação de dois conjuntos de células e, portanto, dois embriões. Cada embrião também se desenvolverá independentemente do outro, mas como possuem o mesmo material genético, eles serão morfologicamente semelhantes entre si. Esses são os gêmeos idênticos, univitelinos ou monozigóticos.
Em alguns casos, os gêmeos univitelinos podem compartilhar uma parte do corpo e são chamados de gêmeos siameses. Isso ocorre em virtude de problemas durante o período de divisões celulares que os mantêm parcialmente juntos.
 
Fotografia de irmãos fraternos
 
Fotografia de irmãos univitelinos
 
Fotografia de irmãs siamesas
 


Em Resumo

A gravidez inicia-se com a fecundação, que é a união do gameta feminino com o gameta feminino. Esse processo ocorre nas tubas uterinas. Após a fecundação, o zigoto sofre várias divisões e chega ao útero, onde se instala na parede do órgão, processo chamado de nidação.

Após sua instalação, inicia-se o desenvolvimento da placenta, que é o anexo embrionário responsável pelas trocas de substâncias entre a mãe e o feto. Ao longo do tempo, o feto desenvolve-se e há a formação de todos os órgãos de nosso copo. Durante esse período, o corpo do feto é envolto por uma membrana cheia de líquido (âmnio), que o protege de traumas.

No final do nono mês, o feto completou seu desenvolvimento e, por isso, é capaz de sobreviver fora do corpo da mãe. O processo de saída do feto do corpo da mãe é chamado de parto e pode ocorrer de forma normal ou cirurgicamente (cesariana).

Após o nascimento, o bebê é alimentado pela mãe. O leite produzido por ela contém todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento do bebê e deve ser o único alimento oferecido nos primeiros meses de vida.
Vamos Praticar?
Já é cadastrado? Faça o Login!