Texto: África: Desenvolvimento x Subdesenvolvimento

África: Desenvolvimento x Subdesenvolvimento

Para os habitantes de outros continentes, principalmente de países desenvolvidos, há um imaginário da África enquanto um continente extremamente pobre, subdesenvolvido. De fato, o continente apresenta questões como fome e pobreza, embora não seja o subdesenvolvimento algo endêmico na África. Alguns países, em razão da estabilidade política e econômica, apresentam um desenvolvimento crescente, não somente em termos econômicos, mas de qualidade de vida. 

 

 

Questões sobre Desenvolvimento e Subdesenvolvimento

Assim como ocorre na América, é preciso compreender o que é desenvolvimento e subdesenvolvimento de um povo e país. O fator econômico, apesar de importante, não deve ser considerado como o único parâmetro para medir o grau de desenvolvimento de um Estado-nação.

 

Outros fatores, como educação e expectativa de vida, por exemplo, devem ser considerados para que nossa visão sobre um determinado país esteja pautada sobre um índice que diminua as distorções geradas pelo fator econômico apenas.

 

Mundialmente conhecido, o Índice de Desenvolvimento Humano, o IDH, foi uma forma encontrada pelos países para medir o grau de desenvolvimento com base em uma série de parâmetros. 

 

Nairóbi, capital do Quênia – local de grande desenvolvimento nos últimos tempos, embora apresente problemas socioeconômicos e ambientais

 

IDH: Índice de Desenvolvimento Humano

Criado por dois economistas, Mahbub ul Haq (paquistanês) e Amartya Sem (indiano), o IDH revolucionou a forma de avaliar o grau de desenvolvimento de um país, anteriormente vinculado apenas às riquezas produzidas, desconsiderando fatores que realmente possibilitam um desenvolvimento humano, não somente o econômico.

 

O índice em questão avalia o país em uma escala de 0 a 1: quanto mais próximo do 1, mais desenvolvido é o país. Nessa escala, os países são divididos em diferentes grupos: 

 

  • Países de IDH muito alto: de 0,800 a 1;
 
  • Países de IDH alto: de 0,700 a 0,799;
 
  • Países de IDH médio: de 0,600 a 0,699;
 
  • Países de IDH baixo: de 0,500 a 0,599;
 
  • Países de IDH muito baixo: abaixo de 0,499.

 

Como parâmetro, o IDH apresenta três pilares de avaliação:

 

  • Expectativa de vida ao nascer (longevidade);
 
  • Acesso à educação e anos de escolaridade da população;
 
  • Renda per capita e capacidade de compra dos habitantes.

 

Os três parâmetros avaliados em conjunto possibilitam verificar o grau de desenvolvimento de um país e a área em que ele precisa investir para melhorar o índice. Apesar de alguns avanços econômicos e sociais no continente africano, grande parte dos países enquadra-se no IDH baixo e muito baixo.

 

Países em Desenvolvimento na África

Países em desenvolvimento ou emergentes ainda são poucos na África, em razão dos recentes processos de descolonização e exploração. Outras questões, como guerras civis, fome e má distribuição de renda, também contribuem negativamente para classificar os países africanos como subdesenvolvidos, termo utilizado para designar países pobres.

 

Todavia, há alguns países que estão superando a pobreza e tornando-se referências econômicas e sociais dentro da África. Apesar de poucos, existem países considerados em desenvolvimento, apresentando IDHs mais elevados que o restante do continente.

 

Dentre os países de elevado IDH, com índices acima do 0,800, temos: Argélia, Líbia, Seychelles e Tunísia. Os de desenvolvimento humano médio são Cabo Verde, Egito, Gana, Marrocos, Namíbia, África do Sul, Guiné Equatorial, dentre outros.

 

A Namíbia fez parte do território da África do Sul até 1990, quando conquistou sua independência. Apresenta um IDH médio e baixo número populacional. Ainda hoje há conflitos em relação às fronteiras com países vizinhos, como a Botswana. A Namíbia localiza-se na região chamada África Subsaariana.

 

Cidade localizada na Namíbia

 

Na outra região, na África do Norte, está a Tunísia, país de IDH alto e que possui como principal atividade econômica a exploração de recursos naturais e o turismo. Localizada no Mediterrâneo, é um dos países mais próximos do sul da Europa, separada apenas pelo mar. No plano político e econômico, associou-se à União Europeia, possibilitando maior crescimento econômico com a abertura de seu mercado aos países europeus.

 

Tunísia – costa do Mediterrâneo

 

O pequeno país de Gana, porém populoso, apresenta um IDH médio, com a economia voltada para a exploração dos recursos naturais, tanto minerais como da agricultura. Uma característica importante de Gana está no fato de que o país é habitado por povos de diversas etnias e, durante seu histórico de formação, não houve guerras civis pelo poder, como em muitos dos casos vistos nos países africanos.

 

Mercado nas embarcações em Gana

 

Saiba Mais!

No século XX, durante a bipolarização mundial promovida pelos EUA e a antiga URSS, os países ricos e capitalistas eram chamados de países de 1º mundo, enquanto os países pobres eram chamados de países de 3º mundo. Os países socialistas, como a China e Cuba, eram chamados de países de 2º mundo. Essa caracterização dos países caiu em desuso por representar uma forma preconceituosa e errônea de designar e classificar os países.

 

Países Subdesenvolvidos na África

Na África, muitos países ainda apresentam um IDH muito baixo, com problemas que vão desde a extrema pobreza, a fome e a falta de condições básicas de sobrevivência até os conflitos armados. Parte desse resultado decorre das diversas disputas étnicas pós-independência e das condições deixadas pelos europeus após a colonização.

 

Nesse contexto, temos um país muito conhecido no Brasil por seus atletas, que visitam nosso país anualmente para participar das maratonas de rua, estando sempre entre os primeiros: Etiópia. 

 

A Etiópia é um dos países mais antigos do mundo e não foi colonizado ao longo do século XX. Houve apenas uma breve invasão italiana durante a Segunda Guerra Mundial. Além disso, o berço da humanidade, segundo alguns cientistas, pode estar localizado na Etiópia, local onde o Homo sapiens se originou.  A riqueza cultural e científica do território etíope é muito importante para a sociedade mundial.

 

Mulheres coletando água para consumo em um reservatório na Etiópia – problemas sanitários que possibilitam o aparecimento de doenças

 

Todavia, a economia local não avança no sentido de promover uma acumulação de riqueza, principalmente pelo fato de a agricultura representar a maior fonte de renda do país, mas no nível da subsistência. Um dado estarrecedor sobre a fome aflige a Etiópia: cerca de metade da população é subnutrida.

 

Paradoxalmente, a economia etíope cresceu de forma acelerada na última década, embora tenha sofrido com as crises mundiais que se sucederam na primeira década do século XXI. Ainda sim, o IDH é baixo e muitas melhorias precisam ser implementadas para assegurar a qualidade de vida da população.

 

Um dos países mais pobres da África e do mundo é o Níger. Sua economia é baseada na agricultura de subsistência e os problemas agravam-se pelas dívidas contraídas pelo país, pela instabilidade política e pelos sucessivos golpes e tentativas de golpe de Estado que o exército promove no país. 

 

Tuaregues do Níger descansando na imensidão do deserto do Saara

 

Em relação à população e sua religião, o Níger apresenta uma população de pouco mais de 10 milhões de habitantes, em que a grande maioria é de muçulmanos da vertente sunita. Os tuaregues, população seminômade e muito antiga na região, forma parte da população do Níger. 

 

Atenção!

Há diferenças entre muçulmanos e árabes. Aqueles que professam o islamismo não necessariamente são árabes, pois esta é uma etnia e não uma religião. Cuidado ao fazer uma relação entre árabes e o islamismo. Os tuaregues, por exemplo, não são populações árabes, embora sejam muçulmanos.

 

Em Resumo

O desenvolvimento africano é crescente em alguns países, mas ainda predominam o subdesenvolvimento e os conflitos de diversas ordens na maioria dos países. O IDH, Índice de Desenvolvimento Humano, criado para medir a qualidade de vida da população de uma determinada região ou país, demonstra uma necessidade de avanços em várias áreas para que a situação dos países africanos tenham transformações reais no sentido de melhorar as condições de vida da população. 

Já é cadastrado? Faça o Login!