Texto; Circulação e Consumo de Mercadorias e Serviços

Circulação e Consumo de Mercadorias e Serviços

As matérias-primas, os alimentos e os produtos industrializados, bem como os serviços prestados pela sociedade precisam circular pelo território e, principalmente, ser consumidos pela população, criando dinâmicas econômicas que elevam o desenvolvimento de um município, estado ou país. Isso significa que a circulação e o consumo estão conectados em uma grande rede de demanda e oferta de mercadorias e serviços.

 

 

Circulação

A circulação de mercadorias e serviços é a forma pela qual os três setores que estudamos estão conectados entre si. Apesar de diferentes, os setores da economia interagem e são interdependentes.

 

A circulação da mercadoria ocorre de diversas formas, como: terrestre (rodovias e ferrovias), dutoviário, aérea, fluvial e marítima. Essa circulação é física, ou seja, quando a mercadoria é algo concreto e sai de um lugar para chegar a outro. 

 

Circulação marítima – para transporte de carga de matéria-prima a equipamentos ultramodernos

 

Há outras formas de circulação quando a questão é serviços, como os serviços de comunicação e informação. Eles circulam por ondas eletromagnéticas (rádio e televisão), cabos, antenas e satélites. Essa forma de circulação não envolve um meio de transporte, como é preciso para as mercadorias, mas uma infraestrutura de rede capaz de assegurar o envio e recebimento seguro dos dados necessários para transmissão da informação.

 

Circulação de dados de internet 3G – Pessoas comunicando-se e/ou pesquisando por meio de um serviço de rede por satélite ou antena

 

Dinâmica da Circulação

A circulação acontece 24 horas por dia durante todo o ano. Como vimos, há diversas formas de circulação, tanto de mercadoria, como de informação. Portanto, há uma dinâmica de circulação constante em todo o nosso planeta.

 

O diagrama ao lado ilustra essa dinâmica da circulação:

 

Dinâmica cíclica e interdependente – as setas representam os meios de circulação, conectando os setores

 

Consumo

O consumo de mercadorias e serviços é inerente à condição humana. Vivemos em um mundo onde o consumo é parte de nosso cotidiano, pois precisamos de uma série de coisas para a vida que levamos. 

 

Do momento em que acordamos até o momento em que deitamos para dormir, estamos consumindo algo que consideramos essencial para nossa sobrevivência. É o consumo de coisas básicas, como água, energia e alimentos, e coisas não tão básicas.

 

Um dos grandes vilões do consumo é a degradação da natureza, tanto para a exploração de matéria-prima para a produção de mercadorias, quanto do lixo gerado por nosso consumo. Vivemos, ainda, em uma sociedade que pouco reaproveita ou recicla nosso lixo, embora os discursos de desenvolvimento sustentável sejam conhecidos por uma grande maioria da  população.

 

Consumo ou Consumismo?

Existe uma diferença entre as palavras consumo e consumismo. Embora tenham a mesma origem, elas demonstram a relação que um indivíduo tem sobre a possibilidade de compra de algo ou algum serviço e seu efetivo consumo.

 

O consumismo é caracterizado pelo excesso de consumo realizado por um indivíduo ou grupo social, excesso que poderia ser evitado para preservar o planeta das consequências de sua exploração e produção de lixo. Muitas pessoas adquirem produtos, gastam energia e água sem necessidade, tornando o consumo um vilão dos tempos atuais, em que se prega a sustentabilidade ambiental.

 

Torneira de água aberta sem uso – (mau) exemplo de consumismo

 

Saiba Mais!

O consumo de energia também é uma forma de consumir uma mercadoria e um serviço ao mesmo tempo. É mercadoria, embora não a vejamos, porque compramos a energia gasta nos aparelhos ligados à eletricidade. É um serviço, também, pois chega a nossa residência por meio da circulação em rede de postes e cabos elétricos, estando disponível para ser utilizada. A figura mostra um adesivo muito comum nos aparelhos eletrodomésticos, como a geladeira, demonstrando sua eficiência energética. Essa classificação permite que, ao comprar um aparelho elétrico, saibamos o quanto de energia é gasta. Se for de consumo A, significa que é eficiente, reduzindo o consumo.

 

      Classificação da eficiência energética de aparelhos eletrodomésticos

 

Consequências do Consumo

Como consequência do consumo e do consumismo, temos grandes quantidades de lixo gerado em nossa superfície. Esse lixo, na maioria das vezes, não passa por nenhuma reciclagem, separação e/ou reaproveitamento.

 

Além disso, o resultado de nosso consumo, o lixo, é, muitas vezes, disposto de forma irregular e sem cuidados mínimos para proteger o meio ambiente, como podemos ver na fotografia.

 

Consequência do consumo – grande quantidade de lixo gerado e disposto de forma irregular

 

Atualmente, existe uma corrente de pensamento que prega a prática dos 3 R’s:

 

  • Reduzir
 
  • Reutilizar
 
  • Reciclar
 

Esse pensamento deveria ser mais difundido nas escolas, nas residências e condomínios, locais de trabalho, lazer e esporte, enfim, em cada lugar que frequentamos e materiais são descartados. Muitos objetos, hoje, são descartáveis, gerando muito lixo para ser jogado na natureza.

 

Reduzir, reutilizar e reciclar

 

Materiais que podem ser reciclados – metal, papelão, plástico, vidro, papel e material orgânico (resto de alimento)

 

Leitura

 

Volume de lixo cresce em proporção maior que a população brasileira

 

Em 2012, 24 milhões de toneladas foram descartadas inadequadamente. Geração de lixo por pessoa aumentou de 955g por dia para 1,223 kg.

 

Boa parte do lixo produzido no Brasil termina em lugares inadequados. É o que revela uma pesquisa divulgada, com exclusividade, pela coluna Sustentável.

 

Na última década, 40 milhões de brasileiros ascenderam socialmente. Essa nova classe média passou a consumir mais, e quem consome mais gera mais lixo.

 

Nos últimos dez anos, a população do Brasil aumentou 9,65%. No mesmo período, o volume de lixo cresceu mais do que o dobro disso, 21%. É mais consumo, gerando mais lixo, que nem sempre vai para o lugar certo. 

 

Segundo a Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), apenas no ano passado, foram descartados 24 milhões de toneladas de resíduos em lugares inadequados. Isso seria suficiente para encher 168 estádios de futebol do tamanho do Maracanã.

 

O Nordeste é a região que tem o maior volume de resíduos descartados em lugares impróprios. No lixão de Itabuna, no sul da Bahia, por exemplo, diariamente, toneladas de lixo são despejadas sem nenhum tratamento. [...] Em dez anos, de 2003 a 2012, a geração de lixo por pessoa aumentou de 955g por dia para 1,223 kg. Foi o que aconteceu na casa de Jeferson e Denise, no subúrbio do Rio de Janeiro. O aumento da renda mudou também o lixo.  “Embalagem de iogurte, embalagem de leite, enlatado, leite em caixa. Nós dois trabalhamos fora e, no final de semana, estamos sempre pedindo comida por telefone“, diz o empresário Jeferson Rodrigues.  

 

(Jornal da Globo, André Trigueiro – 27/05/2013 – Disponível em: http://migre.me/i29Cq)

 

                     Catadores de recicláveis no Lixão da Vila Estrutural, DF-BR

 

Em Resumo

A circulação de mercadorias, serviços e matérias-primas é fundamental para que as relações econômicas e as necessidades humanas sejam plenamente satisfeitas. Todos os setores da economia são interdependentes, ou seja, dependentes um dos outros. Há diversas formas de circulação, desde meios físicos, como os meios de transporte conhecidos, até por ondas e satélites. Por sua vez, o consumo, destino final da circulação de mercadorias e matérias-primas, é o último estágio de um ciclo produtivo, sendo possível consumir mercadorias de diversos tipos. O lixo é a consequência desse consumo, despejado, muitas vezes, de forma irregular no meio ambiente.

Vamos Praticar?
Já é cadastrado? Faça o Login!