Texto: China: Aspectos Físicos e Sociais

China: Aspectos Físicos e Sociais

 

Aspectos Físicos

O território chinês é o terceiro maior do planeta, com área pouco superior a 9,5 milhões de quilômetros quadrados, sendo menor apenas que os territórios da Rússia e do Canadá. Está localizado na porção leste da Ásia e é banhado, na sua costa oriental, pelo Oceano Pacífico. Faz fronteira com inúmeros países, entre eles Coreia do Norte, Rússia e Índia. 

 

Em razão da grande extensão de seu território, a China apresenta grande variação de climas e paisagens. Na porção norte, onde o país é limítrofe na maior parte com a Mongólia, há a predominância de climas secos ocasionados, entre outros fatores, pela elevada continentalidade da região. Naquele local fica localizado o deserto de Gobi, que se estende até o sul da Mongólia. Nesse deserto são frequentes as tempestades de areia, que são capazes de transportar sedimentos por milhares de quilômetros que são são responsáveis, inclusive, por fertilizarem parte do vale do rio Huang-Ho, mais conhecido como rio Amarelo. Essa sedimentação proveniente do deserto de Gobi dá origem a um dos solos mais férteis do mundo, chamado de solo de Loess.

 

A China é o terceiro maior país do mundo em extensão territorial

 

Já na porção centro-oeste predominam as elevadas altitudes em decorrência da cordilheira do Himalaia. Na fronteira da China com o Nepal, na província do Tibete, há o ponto mais alto do planeta, o Monte Everest, com 8.850 metros acima do nível do mar. Em função da proximidade com a cordilheira do Himalaia, todo o sudoeste da China é dominado por elevadas altitudes. No imenso planalto tibetano, a altitude média gira em torno dos quatro mil metros, o que fez com que a região ganhasse a alcunha de o teto do mundo. O clima é predominantemente seco e o ar, rarefeito, em função da elevada altitude.

 

O Monte Everest, localizado na fronteira da China com o Nepal, é a mais alta montanha do mundo, com 8.850 metros

 

No sul da China, há uma forte atuação do clima tropical de Monções. Nesse clima, as chuvas são abundantes no período do verão, o que permite o desenvolvimento de uma vegetação mais diversificada, com florestas temperadas. O relevo é dominado por colinas suavemente onduladas e cordilheiras de baixa altitude.

 

Já o leste chinês tem um relevo com a predominância de planícies aluviais. Os rios Huang-Ho (rio Amarelo) e Yang-Tsé (rio Azul) contribuem para fertilizar os solos daquela região, tornando-os altamente interessantes para a prática agrícola. O clima dominante é o temperado continental, que proporciona quatro estações bem definidas e chuvas relativamente bem distribuídas ao longo do ano.

 

Nas últimas décadas, em razão dos grandes avanços econômicos e da enorme concentração populacional, especialmente na porção centro-leste, a China vem despontando no mundo como um dos países que mais degradam o meio ambiente. Entre os vários problemas ambientais enfrentados por aquela nação, pode-se destacar a poluição atmosférica, que afeta principalmente as aglomerações urbanas e industriais; o desmatamento, que prejudica também a fauna; e a poluição dos recursos hídricos, sobretudo dos dois principais rios, o Amarelo e o Azul.

 

Aspectos Sociais (populacionais)

A China tem o maior contingente populacional do mundo, e, de acordo com dados oficiais do país, atingiu em 2012 a marca de 1,354 bilhão de pessoas. Desse total, pouco mais de 50% residem na zona urbana, o que quer dizer que a China é, juntamente com a Índia, a nação que possui o maior número de pessoas morando no meio rural. Pelo fato de grande parte dos chineses ainda residir na zona rural e da dificuldade de se obter, com precisão, dados estatísticos sobre essa população, muitos afirmam que a China possui mais que 1,5 bilhão de pessoas; todavia, tais informações não são oficiais.

 

Mapa da densidade populacional da República Popular da China

 

Apesar de possuir extenso território e população enorme, a distribuição demográfica chinesa é irregular. As condições extremas observadas em grande parte da China, como desertos e elevadas altitudes, faz com que o norte e o oeste do país ficassem fracamente povoados. Na região sudeste, o maior dinamismo econômico e o clima mais ameno favorecem a maior ocupação populacional. 

 

No mapa acima, é possível visualizar a distribuição da população chinesa pelo território. Perceba que o planalto tibetano, localizado ao sudoeste do país, é a região menos povoada.

 

Saiba Mais!

Oficialmente, o governo chinês reconhece a existência de 56 grupos étnicos distintos em seu território. Do total da população chinesa, 91% pertencem à etnia han. Outro grupo étnico que merece destaque é o dos tibetanos que habitam a província do Tibete, ao sudoeste do país. O Tibete é um território com forte presença da tradição budista, e a maior parte de sua população deseja a separação da China. A China, por sua vez, reconhece a região como parte do seu território desde o século XIII. Nos anos 1950, a ampliação dos movimentos separatistas naquele local fez a China aumentar seu domínio na área, o que levou o líder espiritual dos tibetanos, Dalai Lama, a se refugiar na vizinha Índia. Até hoje o impasse não foi resolvido, e a China dá sinais claros de que não abrirá mão das terras do Tibete.

 

Na década de 1970, o governo chinês liderado por Deng Xiaoping implementou uma política demográfica com vistas a reduzir os níveis de crescimento populacional do país que eram gigantescos. A lei, denominada política do filho único, obriga os casais a terem somente um filho. Caso a determinação legal seja descumprida, eles se tornam sujeitos a pesadas multas e a outras penalidades impostas pelo rígido governo chinês. Nos pouco mais de 40 anos que a lei se encontra em vigor, estima-se que a população chinesa deixou de aumentar em cerca de 400 milhões de habitantes. 

 

Os resultados positivos da lei param por aí. Por conta da obrigatoriedade em se ter somente um filho, tornaram-se comuns as práticas de aborto, de abandono e, não raro, de infanticídio contra bebês, principalmente os do sexo feminino. Além disso, já que ao casal não poderia ser dada a opção de ter mais de um filho, a maior parte optou por terem crianças do sexo masculino, o que se materializa em um desequilíbrio de gêneros no país, isto é, há mais homens que mulheres na China.

 

Por conta desses resultados adversos, nos últimos anos o governo chinês vem dando mostras de maior flexibilização na rigidez da aplicação da política do filho único. Isso se tornou necessário para que o país promovesse uma renovação demográfica, algo que é dificultado por tal política . Entre as alternativas está a liberação para um segundo filho, quando um dos pais for filho único.

 

A prática religiosa é definidora da identidade do povo tibetano, para quem Dalai Lama é a autoridade suprema

 

Em Resumo

Localizada no leste da Ásia, a China é o terceiro maior país do mundo. Em razão da grande extensão territorial, apresenta grande diversidade de relevo, climas e paisagens. Ao norte do país, há climas e paisagens desérticas; no oeste, o destaque fica por conta das elevadas altitudes da cordilheira do Himalaia; e no centro-leste, as planícies dos rios Huang-Ho e Yang-Tsé favorecem as práticas agrícolas. A população chinesa é a maior do mundo, totalizando mais de 1,3 bilhão de pessoas. Vale ressaltar que essa população não é bem distribuída pelo território, concentrando-se mais no sudeste. 

Já é cadastrado? Faça o Login!