Texto: A União Soviética durante a Guerra Fria

A União Soviética durante a Guerra Fria

Depois da Segunda Guerra Mundial, as potências europeias estavam arrasadas e perderam a hegemonia para os Estados Unidos. Porém, a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) ainda possuía um grande exército e passava por uma rápida industrialização. Nesse contexto, houve uma disputa ideológica entre o governo capitalista (Estados Unidos) e o socialista (URSS), que ficou conhecida como Guerra Fria. 

 

Você Sabia?

Ideologia significa um ideal. É um conjunto de ideias e doutrinas que representam um indivíduo ou um grupo e que orientam suas ações.

 

O Governo Socialista 

No sistema socialista, os meios de produção, as terras e as indústrias passam por um processo de socialização, isto é, se tornam coletivos. Não há propriedades privadas, e sim estatais, pois pertencem ao estado; os trabalhadores servem ao estado. Vale ressaltar que havia um único partido chamado Partido Comunista (PC).

 

 

Enquanto isso, na economia existia uma característica importante que era a planificação da economia. Nela, os altos funcionários do Estado determinavam como seria essa economia, por exemplo, os valores dos salários dos trabalhadores, os produtos que seriam produzidos, a quantidade de produtos que cada pessoa deveria ter. 

 

A intenção da URSS era propagar pelo mundo os ideais socialistas. O sistema era conhecido como socialismo real, ou seja, o socialismo que foi colocado em prática.  

 

Saiba Mais!

Com a Doutrina Truman, os Estados Unidos assumiram uma nova política. Segundo ela, os norte-americanos seriam líderes das nações capitalistas ocidentais para enfrentar o avanço soviético, oferecendo apoio econômico e militar, caso os países precisassem. 

 

Alianças Militares

Para conter o avanço do socialismo pelo mundo, os Estados Unidos lançaram a Doutrina Truman e, em 1949, criaram a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Essa organização visou formar um escudo militar contra o socialismo, com participação de do Canadá, da Alemanha Ocidental, de países da Europa Ocidental e de outras nações capitalistas. 

 

Em retaliação, os países socialistas do Leste Europeu assinaram, em 1955, o Pacto de Varsóvia. De acordo com esse documento, em casos de conflitos armados, as nações socialistas (URSS, Polônia, Alemanha Oriental, Tchecoslováquia, Hungria, Romênia e Bulgária) se apoiariam.    

 

 

Corrida Armamentista 

Estados Unidos e URSS se tornaram grandes rivais na Guerra Fria, em que a forma de disputa era a capacidade que cada nação tinha de produzir armas. Vejamos como a URSS participou dessa corrida: 

 
  • Em 1949, foi acelerado o programa nuclear, testando a primeira bomba atômica no deserto de Cazaquistão;
 
  • Foram desenvolvidos mísseis intercontinentais que poderiam ser lançados a longas distâncias;
 
  • Havia o serviço de espionagem, o Comitê de Segurança do Estado, criado em 1954 – em russo, a sigla era KGB;

 

  • Desenvolveu-se a tecnologia espacial em outubro de 1957, ano em que URSS colocou seu primeiro satélite na órbita da Terra, o Sputnik I. Enquanto isso, em junho de 1963, a primeira mulher foi ao espaço – Valentina Tereskhova era russa. 

 

Saiba Mais!

O programa espacial Sputnik foi criado pela União Soviética em meados da década de 1950 para demonstrar a viabilidade dos satélites artificiais. O objetivo era investigar o espaço e descobrir se organismos vivos eram capazes de sobreviver lá. Sputnik é uma palavra russa que significa satélite ou amigo viajante. O primeiro Sputnik foi lançado para o espaço a 4 de outubro de 1957, a partir do cosmódromo de Baikonur, na República do Cazaquistão, tendo sido o primeiro satélite artificial do mundo, o que apanhou de surpresa os norte-americanos. O Sputnik tinha o tamanho de uma bola de basquetebol, pesava cerca de 80 quilogramas e esteve 98 minutos em órbita à volta da Terra. Como em todos os casos seguintes, o satélite foi transportado para o espaço até ser deixado em órbita pelo foguetão R. 7, inicialmente concebido para servir a fins militares. O sucesso do primeiro Sputnik abriu a corrida espacial entre soviéticos e norte-americanos, que decidiram então criar a Agência Espacial Norte-Americana (NASA).

 

A 3 de novembro de 1957, foi lançado o Sputnik 2, que pesava cerca de meia tonelada, sendo o primeiro aparelho espacial a transportar um ser vivo. Lá dentro viajava a cadela Laika, que sobreviveu durante dez dias no espaço. O seu regresso à Terra não estava previsto nessa missão. A 15 de maio de 1958, na segunda tentativa, foi enviado para o espaço o Sputnik 3, que transportava uma série de instrumentos para pesquisas geofísicas.

 

As experiências com animais foram repetidas a 19 de agosto de 1960, com o Sputnik 5. Dessa vez, eram transportados dois cães, 40 ratos, duas ratazanas e diversas plantas. Após um dia no espaço, o satélite regressou à Terra com todos os animais vivos. No total, foram enviados para o espaço dez satélites soviéticos com a designação Sputnik, alguns dos quais para servirem de base de lançamento de sondas que viajaram até ao planeta Vênus.

 

Adaptado de: http://www.noseahistoria.wordpress.com/2014/01/27/sputnik-i-1-o-satelite-artificial/

 

 

Você Sabia?

A Alemanha foi derrotada na Segunda Guerra Mundial. Desse modo, o país foi dividido em quatro e entregue aos países vencedores (Inglaterra, França, EUA e URSS). Os países capitalistas se uniram e formaram o lado ocidental alemão, denominado República Federal Alemã (RFA) e conhecido como Alemanha Ocidental (a capital era em Bonn). Enquanto isso, URSS formou a Alemanha Oriental, chamada de República Democrática Alemã (RDA) – a capital era Berlim. 

 

Em Resumo

No período da Guerra Fria, EUA e URSS eram rivais, mas suas disputas ficaram apenas no plano ideológico. A URSS almejava propagar o socialismo pelo mundo, forma de governo que se caracterizava pela distribuição equilibrada das riquezas e propriedades. Pactos foram firmados entra os países socialistas e houve um desenvolvimento tecnológico, devido à disputa entre os dois blocos.      

 

Referências

BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História – sociedade & cidadania. 9º ano. São Paulo: FTD, 2009.

COTRIM, Gilberto. História para o ensino médio – Brasil e geral. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2002. Volume único. 

PELLEGRINI, Marco César. Vontade de saber história. 9º ano. 2. ed. São Paulo: FTD, 2012.     

Já é cadastrado? Faça o Login!