Texto: O Surgimento da Filosofia

O Surgimento da Filosofia

O desejo de compreender a realidade é algo natural aos seres humanos. Sendo assim, elea tendem a elaborar explicações e criar tecnologias de modo a satisfazer suas inquietações.  De fato, analisando o curso da história, percebemos inúmeras propostas teóricas e tecnologias que auxiliaram os homens na compreensão dos fatos que ocorrem no mundo. Mediante essa análise, temos a sensação de que as propostas de compreensão de mundo que estão mais próximas do nosso período histórico, em geral, parecem ser mais lógicas do que aquelas relacionadas a períodos mais remotos. Com base nisso, nossa tendência é classificar as inúmeras tentativas de compreensão do mundo em graus evolutivos, afirmando que determinado alcance de conhecimento significa a superação das suposições anteriores. 

 

 

Contudo, isso significa dizer que as propostas teóricas dos séculos anteriores são descartáveis, algo que seria um erro.  

 

Embora algumas dessas teorias mais remotas pareçam infundadas e até mesmo inocentes se comparadas àquelas que encontramos hoje, não podemos negar que elas são a base para as propostas científicas e filosóficas que conhecemos atualmente.

 

Enfim, a partir desse capítulo, nosso propósito é a compreensão geral do modelo investigativo estabelecido pelos primeiros filósofos. Consequentemente, é preciso perceber o quanto eles influenciaram o panorama científico e, sobretudo, filosófico ao longo dos anos que sucederam.

 

A Gênese do Pensar Filosófico 

No capítulo anterior, estudamos a transição do pensamento mítico para o filosófico, notando que o modelo investigativo proposto pela Filosofia tem como fundamento a razão. Mas vale lembrar que a Filosofia nascente, embora tenha estabelecido novos parâmetros de compreensão do mundo, carrega consigo traços que são próprios da estrutura das narrativas mitológicas.

 

Nesse aspecto, os primeiros filósofos herdam o modelo poético de apresentar suas teorias, assim como eram exibidas as narrativas mitológicas. Contudo, o caráter metodológico e sistemático já se faz evidente nessas primeiras teorias. 

 

No entanto, qual o principal objeto de estudo dos primeiros filósofos? 

 

A ordem do mundo e a origem das coisas, temas que também permeavam as narrativas mitológicas, constituem o foco de pesquisa dos primeiros filósofos.

 

Com base nesse argumento, é possível afirmar que os filósofos da natureza inauguram o período denominado cosmologia. Essa palavra é composta por duas expressões: cosmos (universo) e logos (ordem, razão ou harmonia).

 

Os Filósofos da Natureza

Pelo que foi destacado acima, podemos compreender que a cosmologia é uma filosofia da natureza, tendo em vista que os primeiros filósofos se interessavam pelos fenômenos que ocorriam nela. Entretanto, esses fenômenos só dizem respeito ao homem na medida em que ele se sente parte do cosmos.  

 

Portanto, o dinamismo do cosmos, todo seu movimento de geração e transformação, é justificado não mais pela providência dos deuses, mas pela própria ordenação entre os elementos que se fazem presentes na natureza. 

 

 

A Substância Básica

Tales, precursor do período cosmológico, mediante as observações que realiza da physis (natureza), afirmou que a água se faz presente em todos os elementos da natureza. Nesse sentido, ele concluiu que a água é a substância primordial de todo o “Ser” na physis

 

Os gregos denominavam esse princípio básico de arqué (arché). Ele é um princípio supremo existente em todos os seres materiais que substitui toda e qualquer mudança ocorrida na physis.

 

Assim como Tales, outros filósofos realizaram suas próprias análises e identificaram outros elementos naturais como arqué. 

 

Portanto, apesar das constantes transformações existentes no mundo, a forma básica dele sempre permanecerá a mesma. 

 

Saiba Mais!

Os principais filósofos da natureza são Tales de Mileto, Anaxímenes de Mileto, Anaximandro de Mileto, Heráclito de Éfeso, Pitágoras de Samos, Parmênides de Eleia. Zenão de Eleia, Empédocles de Agrigento, Anaxágoras de Clazômena, Leucipo e Demócrito de Abdera. 

 

Em Resumo

Compreendemos que o pensar filosófico se volta para os fenômenos naturais contemplados pelo homem. 

 

Porém, a elaboração desse saber não ocorre passivamente. Ao contrário disso, a proposta filosófica é fornecer justificativas baseadas em argumentos racionais. 

 

Nesse sentido, os primeiros filósofos, também conhecidos como filósofos da natureza, tinham como propósito encontrar um elemento básico que fosse comum a todos os outros elementos da natureza, mas que permanecia inalterado, mesmo que ocorresse alguma alteração na physis

 

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. Tradução, coordenação e revisão de Alfredo Bosi et al. 2. ed. São Paulo: Mestre Jou, 1982.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Temas de Filosofia. São Paulo: Moderna, 2012.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofia com textos: temas e história da Filosofia. São Paulo: Moderna, 2013.

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 2005.

DIMENSTEIN, Gilberto; RODRIGUES, Marta M. Assumpção; GIANSANTI, Alvaro Cesar. Dez lições de Filosofia. São Paulo: FTD, 2012.  

FERRY, Luc. Aprender a viver – Filosofia para os novos tempos. Tradução de Vera Lucia dos Reis. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007.

PRADO, Caio Jr. O que é Filosofia. São Paulo: Brasiliense, 1996.

REALE, Giovanni Antiseri. História da Filosofia. São Paulo: Paulus, 1990.

VERNANT, Jean Pierre. As origens do pensamento grego. Tradução de Ísis Borges B. da Fonseca. Rio de Janeiro: Difel, 2002. 

Já é cadastrado? Faça o Login!