Texto: O Planeta Terra

O Planeta Terra

Nosso planeta é o terceiro mais próximo do sol, o maior e mais denso dos planetas rochosos do nosso sistema solar. Sua origem ocorreu junto com o restante do sistema solar, há cerca de 4,5 bilhões de anos. Ao longo dos módulos anteriores nós descobrimos várias características do nosso planeta. Estudamos a geosfera, que envolve toda sua composição rochosa, vimos que nosso planeta é divido em camadas e que sua superfície é fragmentada. Estudamos a hidrosfera, a camada de água que cobre o nosso planeta e é essencial para a vida. Vimos ainda a atmosfera, a camada de gases que protege nosso planeta de radiações e permite a presença de gases para a respiração. Juntando todos esses fatores, nós temos o planeta onde a nossa espécie e milhões de outras vivem.
 
“A Terra é azul!” Essa frase foi dita pelo astronauta soviético Yuri Gagarin (1934 - 1968), primeiro homem no espaço
 

Hemisférios e Inclinação da Terra

O nosso planeta é esférico e pode ser dividido em duas metades, chamadas de hemisférios. A divisão entre o norte e sul é feita por uma linha imaginária chamada de Linha do Equador, que divide o planeta entre hemisfério norte ou boreal e hemisfério sul ou austral. A linha do Equador se encontra em latitude 0°. Abaixo e acima dela, a latitude aumenta. Se traçarmos um eixo cruzando do polo sul até o polo norte, observaremos que ele será inclinado em 23,5° em relação ao plano formado pela sua órbita. 
 
A Terra apresenta uma inclinação em relação a sua Linha do Equador
 

Movimento de Rotação

Todos os planetas realizam um movimento ao redor do próprio eixo, chamado de rotação. Esse movimento está relacionado com ciclo de dia e noite. Quando a face da Terra está de frente para o sol, é dia, quando a face está contra o sol, é noite. A Terra gira ao redor do seu próprio eixo no sentido anti-horário. A inclinação faz com que o período de duração dos dias e noites varie ao longo do ano. O tempo que um planeta leva para realizar esse movimento é chamado de período. O período de rotação da Terra é de 23 horas, 56 minutos e 4 segundos, equivalente a um dia.
 
A rotação e a translação são os principais movimentos realizados pelo planeta Terra


Movimento de Translação

O movimento que um planeta realiza ao redor da estrela que ele orbita é chamado de translação. Esse movimento está relacionado com o ciclo dos anos. Um período de translação da Terra dura cerca de 365 dias e 6 horas, ou seja, aproximadamente um ano. Observando o movimento da Terra por cima do polo norte, veríamos que o deslocamento ocorre no sentido anti-horário a cerca de 150 milhões de quilômetros do sol. A órbita que a Terra faz ao redor do Sol tem um formato elíptico, mas não é perfeitamente circular. Desta forma, em diferentes trechos da sua órbita, a Terra se encontra a diferentes distâncias do Sol. Quando a Terra se encontra mais distante do Sol, é chamado de afélio. O momento em que a Terra está mais próxima do Sol é o periélio. Essas diferenças de distâncias são pequenas e teêm poucos resultados práticos no nosso planeta.
 
A diferença de curvatura 
na órbita solar cria variações na distância entre a Terra e o Sol
 

Saiba Mais!

Um ano tem duração de 365 dias, no entanto o movimento de translação dura 365 dias e 6 horas. Para compensar essa diferença de tempo, a cada quatro anos é adicionado ao calendário um dia a mais (resultante da somatória das 6 horas a mais por período de translação). Esses anos em que ocorrem 366 dias são chamados anos bissextos, e neles o mês de Fevereiro tem 29 dias, e não 28, como nos outros anos.
 

Você Sabia?

Hoje nós podemos afirmar com certeza que a Terra (e os outros corpos celestes do sistema solar) se movimenta ao redor do Sol. No entanto, por muitos anos a humanidade acreditava que os planetas e o Sol giravam ao redor da Terra, uma ideia chamada de geocentrismo. Em 1514, o astrônomo polonês Nicolau Copérnico (1453 – 1543) demonstrou que na verdade a Terra descrevia um movimento ao redor do Sol, o heliocentrismo. Copérnico divulgou seus estudos apenas como meras hipóteses, pois a igreja Católica julgava como heresia qualquer ideia contrária às suas. Em 1600, Giordano Bruno (1548 – 1600) escreveu uma obra defendendo as ideias do heliocentrismo, mas foi excomungado e queimado vivo pela Igreja.
 
 

Estações do Ano

Os movimentos que o planeta Terra realiza e seu eixo de inclinação têm grandes consequências sobre o clima e sobre fatores que variam ao longo do ano, pois alteram a incidência de luz e calor em cada região do planeta. Devido a sua forma esférica, os raios solares incidem de forma diferente em cada ponto da superfície do planeta. Essas diferenças determinam as estações do ano: primavera, verão, outono e inverno. 

O verão é a estação em que há maior incidência de luz e calor, portanto as temperaturas tendem a ser maiores e os dias serem mais longos que a noite. Já o inverno ocorre quando há uma menor incidência de luz e calor, havendo menores temperaturas e noites mais longas que os dias. A primavera e o outono são estações de transição, em que os seres vivos se preparam ou para o rigor do frio do inverno ou para abundância de energia do verão.
 
A inclinação da Terra faz com que as estações do ano sejam diferentes entre os hemisfério Sul e Norte
 
Nós recebemos muita influência da cultura norteamericana e europeia, principalmente pela TV e cinema. E sempre quando vemos algum programa com temática sobre o Natal, a neve é um elemento muito presente. No entanto, aqui no Brasil durante o Natal nós estamos passando por uma das épocas mais quentes do ano. Devido à inclinação do eixo terrestre, no momento em que no hemisfério sul do planeta está havendo uma maior incidência de luz, no hemisfério norte estará havendo uma menor incidência. Por isso as estações do ano no hemisfério norte e no hemisfério sul são invertidas. Enquanto o natal no hemisfério norte ocorre no inicio do inverno, aqui no hemisfério sul está iniciando o verão.

Quanto mais próximo da linha do Equador, menos evidentes são as estações do ano, pois mais uniforme será a incidência de luz e calor ao longo do ano. Nas regiões tropicais, dificilmente percebemos as quatros estações bem definidas, tendo o habito de dividirmos apenas em estação chuvosa (correspondente à primavera e verão) e estação seca (correspondente ao inverno e outono). Já em regiões com maior latitude, as estações são muito bem definidas, podendo ser notadas diferenças de um dia para o outro.

As mudanças entre as estações do ano são definidas pelas posições da Terra chamadas de equinócio e solstício.
 
  • Equinócio: Esse é o período em que o dia e a noite têm a mesma duração. Durante o ano ocorrem dois equinócios. O equinócio em março marca o início da primavera no hemisfério norte e do outono no hemisfério sul. O equinócio em setembro marca o início do outono no hemisfério norte e da primavera no hemisfério sul.
 
  • Solstício: Esse é o período em que a diferença de duração do dia e da noite é maior. O solstício em junho marca o início do verão no hemisfério norte e do inverno no hemisfério sul. O equinócio em dezembro marca o início do inverno no hemisfério norte e do verão no hemisfério sul.
 


 

Eclipse

Eclipse é um fenômeno em que ocorre o alinhamento de três corpos celeste, resultando no encobrimento parcial ou total de um deles. Existem dois tipos de eclipses observáveis da Terra: o eclipse solar e o eclipse lunar. 


Eclipse Solar

O eclipse solar ocorre quando a Lua está posicionada à frente do Sol. Apesar de ser incrivelmente menor que o Sol, a Lua está muito mais próxima da Terra, portanto ela pode encobrir totalmente a estrela. A sombra que a lua cria sobre a Terra pode ser total, sendo chamada de umbra, ou então parcial, chamada de penumbra. A região do planeta onde a umbra incide ocorre um eclipse total. A região de penumbra, apenas parte do sol é encoberta, ocorrendo um eclipse parcial.
 
 
Como a Lua permanece percorrendo sua órbita em torno da Terra, a sombra gerada se desloca, ocorrendo em diferentes momentos em cada região do planeta. Quando não ocorre mais a projeção da sombra sobre a Terra, o eclipse termina. Como o plano da órbita lunar é diferente da órbita da Terra, os eclipses solares ocorrem cerca de duas a cinco vezes por ano, mas podem ser observados em apenas alguns locais do planeta.


Eclipse Lunar

O eclipse lunar ocorre quando a Terra fica posicionada entre o Sol e a Lua. A sombra da Terra é projetada contra a Lua, encobrindo-a. Diferente do eclipse solar, o eclipse lunar pode ser observado por um hemisfério inteiro e pode durar mais de uma hora. O eclipse pode ser total, quando a Lua fica totalmente sobre a umbra da Terra, ou então penumbral, quando a Lua atravessa apenas a penumbra da Terra. 
 
Eclipse solar total observado da Terra
 
 
Eclipse lunar observado de Samui, Tailândia, em outubro de 2011
 

Em Resumo

O planeta Terra é o terceiro mais próximo do sol e o maior planeta rochoso do sistema solar. Nosso planeta apresenta uma inclinação em relação a seu eixo, que faz com que a luz incida diferentemente no hemisfério norte e no hemisfério sul. A Terra realiza um movimento de rotação em torno do seu próprio eixo que leva em torno de 24 horas. O movimento de translação é realizado pelo planeta em torno do Sol e leva cerca de 365 dias. Durante seu movimento de translação, associado à inclinação do eixo terrestre, ocorrem diferentes estações do ano: primavera, verão, outono e inverno. Estas estão associadas à incidência de luz em cada hemisfério. As estações são opostas entre o hemisfério norte e sul. Quando a Lua está posicionada entre a Terra e Sol, ocorre o eclipse solar. Quando a Terra está posicionada entre o Sol e a Lua, ocorre o eclipse lunar.
Já é cadastrado? Faça o Login!