Texto: A Revolução Iraniana e os Conflitos entre os Povos Árabes

A Revolução Iraniana e os Conflitos entre os Povos Árabes

Revolução Iraniana ocorreu em 1979 e transformou o Irã, que antes era uma monarquia, numa república. Após essa revolução, o Irã entrou em conflito com o Iraque, devido a divergências antigas.  

 

 

Antecedentes

Desde o ano de 1925, o Irã tinha como regime de governo uma monarquia liderada pela Dinastia Pahlevi. O xá Mohamed Reza Pahlevi adotou várias reformas que desagradaram os xiitas, pois acreditavam que as reformas beneficiavam uma minoria que estava no poder e também se distanciavam das tradições islâmicas. 

 

Mohamed Reza Pahlevi e esposa

 

Assim, em 1978, os xiitas realizaram uma passeata que exigia o fim do governo monárquico e o retorno do líder xiita, o aiatolá Ruhollah Khomeini, que estava em exílio em Paris. 

Ruhollah Khomeini

 

A Revolução Iraniana

As manifestações feitas pelos xiitas foram reprimidas violentamente, e tal fato aumentou a tensão no país; por consequência, o xá Reza Pahlevi entregou o poder ao primeiro-ministro Chapur Baktiar. Mesmo assim, uma guerra civil estava a caminho, e, com receio de enfrentá-la, Baktiar, renunciou. Nesse momento, chegava ao poder o aiatolá Ruhollah Khomeini. 

 

O aiatolá instaurou a República no Irã, as tradições xiitas foram engrandecidas e a organização do país, reestruturada. O Irã passou a defender a expansão da Revolução Islâmica, fato que desencadeou atritos, principalmente com os Estados Unidos. 

 

 

A Guerra Irã-Iraque (1980-1988) 

Alguns motivos provocaram o conflito entre Irã e Iraque. São eles: 

 

  • O separatismo dos curdos;
 
  • Os xiitas iranianos incitarem os xiitas iraquianos a se rebelarem contra o governo sunita do país;
 
  • O Iraque tinha a intenção de anexar os territórios iranianos; 
 
  • A expulsão do aiatolá Khomeini do Iraque, a pedido do xá Reza Pahlevi. 

 

Apesar dessas divergências, o fato que desencadeou o conflito foi a divisão do Canal de Chatt-el-Arab, em 1980, que fazia a fronteira entre os dois países. Assim, as tropas iraquianas invadiram o Irã e destruíram a refinaria Abadã. Em 1982, as tropas iranianas atacaram o Iraque; com isso, a guerra passou a ocorrer no território iraquiano. 

 

O Iraque foi acusado de usar armas químicas nos ataques, sendo que o conflito se propagou até o ano de 1988. Naquele ano, o Irã aceitou a resolução do cessar-fogo proposta pela ONU, e a guerra chegava ao fim. 

 

 

Saiba Mais!

 
  • Aiatolá: é considerado, sob as leis do islamismo xiita, o mais alto dignitário da hierarquia religiosa. O termo significa “sinal de Alá”, ou seja, o aiatolá é o máximo expoente do conhecimento, dentro da crença xiita.
 
  • : título de nobreza dos monarcas da Pérsia (os membros da monarquia iraniana ficaram conhecidos por esse título). 
 
  • Xiita: indivíduo mulçumano seguidor de Ali, primo e genro de Maomé, que sustenta que as únicas tradições autênticas do Profeta são transmitidas pelos membros da família do próprio Ali.
 

Adaptado de: http://www.dicio.com.br/

 

Em Resumo

O Irã, que era governado por uma monarquia, passou por uma revolução e se tornou uma república governada pelos xiitas. Com o governo xiita, antigos conflitos com o Iraque reacenderam, provocando uma guerra que durou de 1980 a 1988. 

 

Referências

BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História – sociedade & cidadania. 9º ano. São Paulo: FTD, 2009.

COTRIM, Gilberto. História para o ensino médio – Brasil e geral. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2002. 

HOBSBAWN, Eric. A era dos extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

PELLEGRINI, Marco César. Vontade de saber história. 9º ano. 2. ed. São Paulo: FTD, 2012.

Já é cadastrado? Faça o Login!