Texto: Eu e o Outro

Eu e o Outro

Certamente, em algum momento de sua vida, você já parou para refletir a seu respeito. Nessa ocasião, várias perguntas surgiram em busca de uma definição de si próprio. Nesse intuito, é possível que você tenha realizado alguma dessas perguntas: qual é o sentido de minha existência? O que eu serei no futuro? O que ocorrerá comigo quando morrer? O que os outros pensam a meu respeito?

 

Provavelmente, não encontramos uma resposta definitiva, mas apenas especulações a nosso respeito. Contudo, é com base nessas especulações que poderemos encontrar um sentido para nossa existência, ou, ainda, definir, plenamente, quem somos nós. 

 

Consequentemente, se compreendermos a nós mesmos, possivelmente, nossa relação com os demais indivíduos seria mais fácil. O fato é que teríamos um equilíbrio entre o eu particular e o eu social. 

 

Vejamos o que diz o filósofo Merleau-Ponty a esse respeito.

 

 

Merleau-Ponty: Corpo e Mundo

Influenciado pela fenomenologia de Edmund Husserl, Maurice Merleau-Ponty (1908-1961) abordou a questão do existir humano com base na perspectiva do corpo. 

 

Para Merleau-Ponty, por meio do corpo, damos sentido ao mundo. Sendo assim, é a percepção que temos do mundo que nos permite gerar conhecimento e, consequentemente, perceber é atribuir significado ao que se percebe.

 

Diante disso, a relação com o outro parte da noção de que vivemos numa espécie de inter mundo, cujo sentido não está nas coisas ou nos outros, mas, sim, no contato e significado que estabelecemos para elas, gerando, consequentemente, aquilo que entendemos de contexto histórico. 

 

Portanto, o corpo é o meio pelo qual podemos apreender nosso ser no mundo. Ele nos fornece a percepção que nos permite nos relacionarmos uns com os outros, pois somos seres sociais e culturais.

 

Em Resumo

Influenciado pela fenomenologia de Edmund Husserl, Maurice Merleau-Ponty compreende que o corpo é o meio pelo qual atribuímos sentido ao mundo. Assim, é a percepção que temos do mundo que nos permite gerar conhecimento.

 

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. Tradução, coordenação e revisão de Alfredo Bosi et al. 2. ed. São Paulo. Mestre Jou, 1982.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Temas de Filosofia. São Paulo: Moderna, 2012.

______. Filosofia com textos: temas e história da Filosofia. São Paulo: Moderna, 2013.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2005

DIMENSTEIN, Gilberto; RODRIGUES, Marta M. Assumpção; GIANSANTI, Alvaro Cesar. Dez lições de Filosofia. São Paulo: FTD, 2012.  

FERRY, Luc. Aprender a viver: Filosofia para os novos tempos. Tradução de Vera Lucia dos Reis. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007

PRADO, Caio Jr. O que é filosofia. São Paulo: Brasiliense, 1996.

REALE, Giovanni Antiseri. História da filosofia. São Paulo: Pulus, 1990

VERNANT, Jean Pierre. As origens do pensamento grego. Tradução de Ísis Borges B. da Fonseca. Rio de Janeiro: Difel, 2002. 

Já é cadastrado? Faça o Login!