Texto: Questões Filosóficas

Questões Filosóficas

O questionamento é um ato natural do ser humano. De fato, na maioria das vezes que temos dúvida ou curiosidade esses sentimentos nos fazem lançar mão de inúmeras indagações.

 

 

Percebam, então, que os questionamentos nos conduzem a elaboração de inúmeros conhecimentos, sejam eles filosóficos ou não. 

 

É certo, portanto, que nem todas as questões nos motivem a elaborar conhecimentos que não sejam de senso comum. Porém, o que nos importa são as questões que permitem gerar um conhecimento filosófico. 

 

O Segundo Princípio Filosófico

O segundo princípio, não menos importante que o primeiro, fundamental para a formação dos conceitos filosóficos é a elaboração de perguntas. 

 

De modo geral, as perguntas têm por finalidade sanar possíveis dúvidas e curiosidades que temos, além disso, nos processos investigativos, as indagações conduzem o pesquisador a uma nova etapa. 

 

Contudo, podemos afirmar que todas as perguntas são consideradas filosóficas?

 

Certamente, a resposta será não. 

 

Vejamos o exemplo de algumas perguntas que não podem ser consideradas filosóficas:

 

  • Quantas horas? 
 
  • Qual a cor do seu vestido? 
 
  • O que você comeu ontem? 

 

A rigor, essas indagações não têm por princípio nos motivar a realização de reflexões de caráter filosófico. De modo geral, elas permitem que avaliemos fatos ou pessoas do nosso cotidiano, porém, essas avaliações não extraem informações que sejam complexas. 

 

Por outro lado, as perguntas filosóficas cumprem um papel essencial quando nos propomos a investigar os fundamentos das coisas mais essenciais da vida e da ordem do cosmos.

 

Temos como exemplo de perguntas filosóficas:

 

  • O que é existir?
 
  • O que é a morte?
 
  • O que é liberdade?
 
  • O que é pensar?

 

Perceba que as perguntas filosóficas nos conduzem a uma reflexão crítica de modo que não nos permita respostas imediatistas e simplificadas. Pelo contrário, as respostas que se espera para essas perguntas dependem de uma estrutura argumentativa capaz de revelar a essência e o significado das coisas. 

 

Portanto, a indagação filosófica nos afasta do conhecimento de senso comum, aquele saber tradicional que não exige comprovação científica nem uma elaboração mental de caráter racional. Ao contrário disso, as indagações filosóficas têm o propósito de elaborar um saber que nos conduza à compreensão mais essencial das coisas. 

 

 

Em Resumo

Compreendemos que as perguntas são fundamentais para sanar nossas dúvidas e curiosidades, e que elas exercem uma papel importante na ação filosófica. Porém, nem todas as perguntas cumprem um papel filosófico. 

 

Foi preciso então, estabelecer a distinção entre questões filosóficas e aquelas que não são filosóficas. Nesse propósito, concluímos que as perguntas filosóficas têm por característica o estímulo da compreensão dos eventos presente no cosmos e das coisas referente a vida humana.

Já é cadastrado? Faça o Login!