Texto: O Sistema Nervoso

O Sistema Nervoso

Você já se perguntou por que sentimos dor ou a importância de senti-la? Imagine a seguinte situação: você encosta sua mão em uma superfície quente e mantém-se encostado nela por um longo período de tempo. De repente, você percebe que sua mão está com sérias queimaduras e que não se recuperará facilmente. É um cenário bastante trágico, mas um pouco absurdo de ocorrer, considerando que nosso reflexo automático é retirar a mão de algo que nos machuca. Esse reflexo é garantido pela atuação do sistema nervoso, que é responsável pela geração, recepção e transmissão de estímulos que permitem a interação com o ambiente externo. A partir de agora, estudaremos como está organizado esse importante sistema.


Neurônios

Iniciaremos nosso estudo a partir da célula fundamental do sistema nervoso: o neurônio. O neurônio apresenta um formato peculiar que lhe permite formar várias redes de ligações com outros neurônios. Tal ligação é importante para garantir que o impulso nervoso seja conduzido rapidamente e produza uma resposta rápida. Dessa maneira, ele nos permite perceber estímulos externos (causados pelo ambiente) e estímulos internos (provocados por nosso próprio corpo). 
 
Esquema da estrutura do neurônio
 

O neurônio é formado, basicamente, por três partes: o dendrito, o corpo celular e o axônio. Os dendritos e o axônio são responsáveis pela condução do impulso nervoso, enquanto o corpo celular contém o núcleo e as organelas celulares. A união de vários neurônios é denominada nervo. O nervo funciona como um cabo telefônico, conduzindo os neurônios para uma função específica. 
 

Saiba Mais!

A transmissão de um impulso nervoso tem que ser um processo muito rápido, para que a resposta a um estímulo seja imediata. Existe uma estrutura que é responsável por acelerar sua velocidade: a bainha de mielina. A bainha de mielina envolve o axônio em toda sua extensão e sua função é fazer com que o impulso elétrico gerado “corte caminho” e não tenha que percorrer todo o axônio. A velocidade de um impulso nervoso sob essas condições pode chegar a incríveis 720km/h.
Fonte: http://biologiacb3.blogspot.com.br/2010/05/velocidade-do-impulso-nervoso.html


Organização do Sistema Nervoso

O sistema nervoso é dividido em duas partes, que trabalham juntas para coordenar o organismo: o sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). A partir de agora, conheceremos cada um separadamente.
 

Sistema Nervoso Central (SNC)

Composto pelo encéfalo e pela medula espinhal, é responsável por controlar todas as funções de nosso organismo. Suas estruturas são protegidas pelo crânio e pela coluna vertebral, pois contêm órgãos essenciais para o funcionamento do corpo humano.
 
O encéfalo é dividido em três órgãos: o cérebro, o cerebelo e o tronco cefálico.
 
Esquema do sistema nervoso central (SNC)
 


Cérebro

O cérebro é o órgão mais conhecido do sistema nervoso e compõe a maior parte do encéfalo. É dividido em dois hemisférios (o direito e o esquerdo), que são responsáveis por coordenar as seguintes funções: raciocínio, criatividade, aprendizagem, processamento dos cinco sentidos, a linguagem falada e a escrita, os movimentos voluntários e a memória. 
 
Representação esquemática do cérebro
 

Uma característica peculiar do cérebro é que seus dois hemisférios comandam lados contrários do corpo. O hemisfério direito comanda o lado esquerdo e o hemisfério esquerdo é responsável pelo controle do lado direito de nosso organismo.  Isso acontece porque os nervos que saem do cérebro trocam de lado no tronco cefálico. 


Cerebelo

O cerebelo é o órgão que se situa abaixo do cérebro e é responsável pelo equilíbrio corporal, coordenação de movimentos e aprendizagem motora. 
 
Representação esquemática do cerebelo
 


Tronco Cefálico

O tronco cefálico é o órgão responsável pela conexão entre o cérebro e a medula espinal. Sua principal atribuição é controlar as funções involuntárias do organismo, como a respiração, os batimentos cardíacos, a pressão arterial e ciclo do sono.
 
Representação esquemática do tronco cefálico, vista ventral
 

Saiba Mais!

Você já ouviu falar de tetraplegia e paraplegia? Esses termos servem para designar lesões na medula espinal, que impossibilitam a movimentação dos membros. A paraplegia é quando somente são perdidos os movimentos dos membros inferiores. Já na tetraplegia, o movimento dos quatro membros é perdido. A lesão que provoca essas incapacitações normalmente ocorre na região da nuca, o lugar mais frágil do sistema nervoso.
Pessoas acometidas pela paraplegia têm que utilizar a cadeira de rodas para sua locomoção


Medula Espinal

A medula espinal é o último componente do sistema nervoso central. É composta por um cordão de tecido nervoso que é protegido pela coluna vertebral.  Sua função é transmitir todos os impulsos gerados no encéfalo para o resto do corpo.
 

Sistema Nervoso Periférico (SNP)

O sistema nervoso periférico é encarregado de conectar o sistema nervoso central ao resto do organismo. É dividido em sistema nervoso voluntário e sistema nervoso involuntário.
 

Sistema Nervoso Voluntário

É composto pelos nervos que levam impulsos nervosos do encéfalo para os músculos e dos órgãos dos sentidos para o encéfalo. As informações produzidas por ações voluntárias, como escrever, andar de skate ou escalar um paredão são transmitidas por esse sistema.
 

Leitura

Ato Reflexo
Como foi descrito no início desse tema, existem situações em que o organismo reage instantaneamente e inconscientemente a um estímulo externo. Essa capacidade é chamada de ato reflexo. Todos já vimos, nos desenhos animados, o clássico teste de reflexo em que um médico bate com um martelo no joelho, fazendo-o reagir instantaneamente ao impacto. Este, também, é um exemplo de ato reflexo. A pessoa não tem consciência dessa reação, pois ela é produzida na medula espinal e não no cérebro.  O impulso nervoso recebido vai até a medula, a qual responde com outro impulso, que irá movimentar nossos músculos para escapar do perigo.
 
Teste médico para avaliar o ato reflexo de uma pessoa
 


Sistema Nervoso Involuntário

Como o próprio o nome diz, é responsável pela transmissão dos impulsos nervosos ligados a ações involuntárias de nosso organismo, tal como a frequência cardíaca e a respiração. Apresenta duas divisões: sistema nervoso simpático e sistema nervoso parassimpático. O primeiro é responsável por coordenar reações a situações de estresse, como, por exemplo, o aumento da frequência cardíaca frente a uma situação de perigo. Já o segundo faz com que o corpo retorne ao estado normal quando não há mais risco, desacelerando os batimentos cardíacos.
 

Saiba Mais!

As Drogas e o Sistema Nervoso
As drogas nada mais são que substâncias que alteram o funcionamento do sistema nervoso.  Elas podem interromper a comunicação entre os neurônios ou estimular a propagação dos impulsos nervosos. As drogas que atrapalham o funcionamento do sistema nervoso são chamadas de drogas repressivas e as que estimulam drogas estimulantes. São exemplos da primeira categoria o álcool e a maconha. O crack, a cocaína, o LSD e o ecstasy são estimulantes das funções neurais, deixando a pessoa agitada e em constante estado de alerta.
 

Em Resumo

O sistema nervoso é responsável por controlar todos os estímulos que recebemos do meio externo e a transmissão destes por nosso organismo. A célula fundamental é o neurônio. É ele que transmite o impulso nervoso. Suas partes são os dendritos, corpo celular e axônio. 

Há uma grande divisão do sistema nervoso baseada nas funções que ele realiza. O sistema nervoso central (que é composto pelo cérebro, cerebelo, troco cefálico e medula espinal) é responsável por gerar os estímulos (voluntários e involuntários) que controlam todas as funções do organismo. Já o sistema nervoso periférico é encarregado de transmitir os estímulos gerados para os órgãos do corpo.
Já é cadastrado? Faça o Login!