Texto: A Colonização Inglesa na China e na Índia

A Colonização Inglesa na China e na Índia

As principais potências da Europa, depois de quase um século de indiferença em relação a suas colônias, em cerca de vinte anos repartiram entre si praticamente todo o mundo ainda não colonizado. Nesse ínterim, tal como ocorreu com a África, a Ásia também foi alvo do imperialismo das potências europeias. 

 

 

Os Ingleses na China

Entre os séculos XIII e XVIII as relações comerciais estabelecidas entre chineses e europeus eram, em grande maioria, favoráveis aos chineses. Porém, por volta do ano de 180, algumas mudanças começaram a acontecer. A balança comercial tornou-se favorável aos europeus sobretudo pelo fato de os comerciantes britânicos passarem a obter enormes lucros com a venda de ópio na China. A droga (o ópio), que provocava, fácil e rapidamente, severa dependência – física e psíquica –, era oriunda das plantações inglesas na Índia. Apesar de o ópio ser proibido na China, os traficantes ingleses vendiam a droga no país em quantidades cada vez maiores.

 

Atenção!

Balança comercial é a diferença total entre as exportações (produtos que saem do país) e importações (produtos que entram).

 

Vale salientar que o ópio afetava drasticamente a saúde da população chinesa. Socialmente, os efeitos também eram devastadores, pois muitas pessoas perdiam o emprego e vendiam tudo o que tinham para comprar e consumir a droga. Desse modo, Lin Zexu, pessoa de confiança do imperador chinês, escreveu uma carta para a rainha Vitória (da Inglaterra) solicitando que a monarca proibisse a venda da droga, por parte dos ingleses, ao povo chinês. Lin Zexu sequer obteve resposta.

 

Diante dessa incômoda situação, os chineses decidiram agir e confiscaram e lançaram ao mar cerca de 1,4 mil toneladas de ópio. A atitude dos chineses foi respondida pelos britânicos com guerra, pois estes alegavam ter sofrido enormes prejuízos. Esse conflito ficou conhecido como a Guerra do Ópio e durou entre os anos de 1839 e 1842, terminando com os ingleses sagrando-se vencedores. China e Inglaterra voltaram a se envolver em conflito por conta do ópio em 1856.

 

Diante da vitória, a Grã-Bretanha aproveitou-se do momento e passou a explorar e dominar, ainda mais, o comércio e outros interesses na China. Pouco depois, americanos, franceses e russos também obtiveram vantagens comerciais sobre o país. No ano de 1900, o império britânico era considerado o maior do mundo, compreendendo territórios que iam do mar Vermelho ao oceano Pacífico.

 

Ilustração do Quartel General inglês em Tche-Fou, China

 

Ilustração da Segunda Guerra do Ópio

 

Soldados britânicos lutando com insurgentes indianos

 

Os Ingleses na Índia

Por volta do ano de 1750, os ingleses invadiram e dominaram a Índia e, consequentemente, aumentaram os impostos sobre os tecidos indianos, elevando exorbitantemente seus preços. Ao passo em que os tecidos indianos encareciam, os britânicos passaram a vender seus próprios tecidos muito mais barato para os indianos. Em decorrência dessas medidas, a maioria das tecelagens indianas decretou falência. Além disso, a Índia passou a produzir algodão – para alimentar a indústria de tecido inglesa –, deixando de produzir alimentos necessários para a manutenção da vida da população.

 

Os abusos cometidos pelos ingleses geraram o empobrecimento do povo indiano e inúmeras crises, que ocasionaram, inclusive, um levante contra a Inglaterra, a Revolta dos Cipaios, em 1857.

 

Os ingleses, valendo-se de seu poderio bélico, esmagaram facilmente a revolta. Diante desse contexto, a Inglaterra aproveitou para tomar o governo indiano por meio de um vice-rei, e, anos depois, a rainha Vitória (da Inglaterra) foi proclamada imperatriz da Índia.

 

O enriquecimento obtido com a exploração no território indiano possibilitou à Inglaterra a construção de um grande sistema ferroviário e o desenvolvimento das comunicações no país. Além do mais, os milhões adquiridos pela exploração dos povos indianos foram utilizados em outras campanhas de dominação, como na China e na Austrália.

 

Cena da Revolta de Cipaios

 

Em Resumo

No final do século XIX e início do século XX a Inglaterra afirmava-se como uma das principais e mais poderosas nações do mundo. Alinhados às políticas comuns ao neocolonialismo, os britânicos urdiram campanhas de invasão e dominação de povos em diversas partes do mundo, sendo as mais salutares as da China e da Índia. Na primeira, os britânicos viciaram a população em ópio enquanto extraíam as riquezas e dominavam o comércio do país; na segunda, eles tomaram o poder e o trono da Índia, fazendo da Grã-Bretanha um imenso império de dimensões globais.

 

Referências

HOBSBAWM, Eric. A era dos impérios. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

PELLEGRINI, Marcos César. Vontade de saber história – 7º ano. 1.ed. São Paulo: FTD, 2009. (Coleção Vontade de Saber).

APOLINÁRIO, Maria Raquel (Ed.). Projeto Araribá: História. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2010. 

 
Já é cadastrado? Faça o Login!